sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Pesquisa britânica revela que criança odeia palhaço


Estudo da Universidade de Sheffield ouviu ‘baixinhos’ de 4 a 16 anos.
Para eles, os adultos pintados e fantasiados são aterrorizantes.



Uma pesquisa feita pela Universidade de Sheffield, no Reino Unido, traz uma péssima notícia para os palhaços: as crianças não gostam deles.

O objetivo do estudo, publicado na revista Nursing Standard, era descobrir como melhorar a decoração da ala infantil de hospitais britânicos.

Para surpresa dos pesquisadores, todos os 250 pacientes ouvidos (com idades entre 4 e 16 anos) declararam não gostar de palhaços. Muitos deles, inclusive os mais velhos, afirmaram que eles são "aterrorizantes" - e chegam a arrancar lágrimas dos baixinhos.


--------------------------------------------------------------------------------
"Como adultos, fazemos suposições sobre o que funciona para as crianças", disse Penny Curtis, pesquisadora da universidade. "Descobrimos que palhaços são universalmente detestados por crianças. Elas acham que eles são assustadores e incompreensíveis."

FONTE: SITE G1 GLOBO


CONFESSO QUE NÃO ME SURPREENDEU, CONHEÇO TANTAS CRIANÇAS QUE TEM MEDO, INCLUSIVE MEU FILHO QUANDO ERA PEQUENO. E VOCÊ O QUE ACHA?
ATÉ AMANHÃ GALERA MUNDIAL!!!

4 comentários:

Renata Medina disse...

Eu achava que era bom para a maioria das crianças, mas pelo visto não é. Que coisa interessante não é? Pois a intenção é ser engraçado e não assustador.
Adorei o post, abraços.

Claudinha disse...

A mim também não surpreendeu. Meu filho fugia de todos os seres fantasiados que encontrava pela frente! Rsrsrs!

Lilly disse...

Stephen King não tinha uma história de um palhaço assustador? Vai ver ele já sabia há tempos o que diz a pesquisa... É interessante ver que tal pavor é de certa forma Universal, pq que ele já existia, eu até sabia...

erickfigueiredo disse...

Minha filha está hoje com 26 anos e o meu filho com 31.
Quando eram pequenos, eu os levei ao circo. Paguei os ingressos e, qual não foi minha surpresa ao constatar que os dois estavam mais preocupados com as pipocas do que com o espetáculo.
A certo ponto minha filha pediu: pai, vamos embora? Fiquei por conta da vida ao perceber que eles não gostaram nada do espetáculo.
Assim, o resultado da pesquisa não me surpreendeu.